Thursday, October 09, 2008

Volta da Laguna dos Patos - Dia 11

26 de setembro de 2008 - décimo primeiro dia
Acordei e tomei um belo café da manhã na Pousada Vô Arthur. Seria o último dia de pedal!
Em Barra do Ribeiro passei por dois estaleiros e encontrei belas figueiras.
Depois de algumas voltas para encontrar a saída para Guaíba, retornei para a estrada de chão. Foi o trecho com mais poeira em toda a viagem, mas ao menos pude observar várias aves,
voando em formação...
... solitárias...
... ou pousadas, em grupo.

Maçaricos do banhado.
Subitamente, eis que a tranqüilidade termina com o vôo rasante de um pequeno avião. Até pensei que poderia ser um piloto em dificuldades! Que ingenuidade a minha...

Queria saber quais as marcas de alimentos que usam essa prática, mas infelizmente não sabemos nem a origem do que vai parar em nosso prato!
Na fotografia acima, o avião já deixando a área. Pode ter sido coincidência, mas quando comecei a fotografar e o piloto me viu, deixou o local.
Desde quando a água é vermelha???

Rumo a Guaíba...
... e ao progresso (!).
Por que será que as chaminés são tão altas???
Por que será que esse tipo de empresa sempre fica ao lado de um rio???
Quem fiscaliza a água que é devolvida???
Essa é a empresa poluidora: Aracruz.


Expansão...
"Ordem e Progresso?"


A Laguna dos Patos já ficou para trás. Acima, Lago Guaíba. Abaixo, Porto Alegre na margem oposta.

Ilha do Presídio ou Ilha das Pedras Brancas, entre a cidade de Guaíba e Porto Alegre.

Almocei na cidade de Guaíba e segui rumo a Eldorado do Sul. A empoeirada estrada de chão ficou para trás...

... e deu lugar ao calorão do asfalto...
... e ao intenso fluxo de veículos na passagem pelas pontes que ligam as ilhas do Delta do Jacuí.

Passando pela ponte móvel fiquei pensando sobre os possíveis símbolos de Porto Alegre: uma ponte, uma estátua, ou pior, uma chaminé... Por que motivo as pessoas se identificam com esse tipo de obra? Não são as obras da natureza muito mais significativas? O pôr-do-sol no Guaíba, por exemplo, que nunca se repete, não seria infinitamente mais belo como símbolo de uma cidade do que uma ponte?...


Chegando na Capital dos Gaúchos, fui direto tomar um chimarrão com o amigo Evânder e prosear com o Helton...
... e fui super bem recebido pelo ex-colega Diego, sua esposa Rosane e seus filhos Marco e Marina e pela Tiane e seus muitos amigos de quatro patas (para saber mais sobre o importante trabalho que é desenvolvido pela Tiane em Porto Alegre acesse o blog "Adote um focinho!!!" nos links ao lado e saiba como participar). Muuuuito obrigadooo!!!


Distância pedalada no dia: 67,02 km;
Distância acumulada: 878,33 km;
Odômetro total: 8219,3 km;
Tempo pedalado no dia: 3 h 33 min 02 s;
Velocidade média pedalada no dia: 18,9 km/h;
Velocidade máxima atingida no dia: 38,0 km/h.

3 comments:

Valdo (Valdecir João Vieira) - Cicloturista said...

Lindas fotos.
No meio de tanta beleza encontraste também a poluição.
Boa viagem
Valdo

Rajesh said...

hi it's nice blog
Me Rajesh
From Nepal
mail me rajeshkrp111@gmail.com
and also visit my blog
www.rajesh420.blogspot.com

juliana said...

É revoltante ver tanto descaso com a natureza! Ver que ainda o que ganha-se em dinheiro tem mais valor que o amanhã!

Veja o que ocorreu com aquela ilha Caribenha, antes pertencente à França!!!
Toda contaminada por agrotoxicos usados nas plantações de banana! Este nem usado mais desde 70 nos USA, mas ainda lá foi usado até 1991!...Doenças que nao existiam, passaram a fazer parte da população..e ainda dizem que estes"pesticidas" nao fazem mal a nossa saúde!..Estamos caminhando para a mesma direção!