Monday, February 27, 2012

Terceiro dia: Zimbros à Praia da Ponta Grande


O terceiro dia de remada começou com tempo excelente. O local onde acampamos revelou-se bastante tranquilo e barraca e os caiaques permaneceram longe da água. Logo cedo percebemos a fumaça da fogueira reavivada pelos colegas de remada no acampamento ao lado. Pelo que ficamos sabendo, Jair e Alvares pretendiam chegar o mais cedo possível em Tijucas, pois temiam o longo retorno pela estrada congestionada; eles nos acompanhariam até terminarmos a travessia da Enseada de Zimbros e aí seguiriam em frente com mais velocidade. Tratamos então de abreviar o café da manhã para desmontar o acampamento e guardar as tralhas nos caiaques.







Por volta das oito horas da manhã, Fernando, Germano, Tiane e eu empurramos os caiaques para a água e remamos até o acampamento de Jair, Alvares, Márcio e Otávio, onde as barracas ainda estavam de pé. Como nenhum horário de saída havia sido estabelecido e parecia que estávamos adiantados, aproveitei para remar um pouco em direção à ponta por onde não havíamos remado na véspera e passei por entre as boias das estruturas de cultivo de ostras.
Pouco mais de meia hora depois estavam todos prontos e começamos a tranquila travessia da Enseada de Zimbros.






Terminada a travessia da calma enseada, passamos a remar acompanhando o contorno da costa. Aparentemente Jair e Alvares resolveram mudar de ideia e não seguiram com velocidade à frente para chegarem logo a Tijucas; continuaram remando tranquilamente conosco.





A grande praia arenosa de Zimbros deu lugar a alternâncias entre regiões rochosas e praias de tombo, nas quais existe apenas uma onda na arrebentação. Esse tipo de praia pode ser perigosa, pois se a potência da onda for consideravelmente forte pode provocar danos no equipamento ou ferimentos no remador.




As praias pelas quais passamos não eram propícias para uma aportagem e já estávamos cogitando uma parada para almoço. Em dado momento, Márcio e Otávio repentinamente desviaram para a costa, passaram por entre pedras e desceram em uma minúscula faixa de areia. O restante do grupo aguardou um pouco para entender o que estava acontecendo, mas acabamos sinalizando que seguiríamos adiante para encontrar local para almoço. À medida que avançávamos era possível perceber que as ondas começavam lentamente a aumentar.
Comecei a remar um pouco à frente para localizar algum acesso e, passando por uma região com ondulação um pouco maior, contornei algumas pedras e "dobrando a esquina" para a direita, rumei para a Praia da Ponta Grande, completamente protegida de ondas. Antes de descer na areia, retornei para acompanhar a chegada dos parceiros de remada e ver se localizava o caiaque duplo com Márcio e Otávio, mas não enxerguei mais ninguém.

[Trajeto sobre imagem do Google Earth]
Percurso na Praia da Ponta Grande

Algum tempo depois estávamos na praia e vimos o caiaque duplo - rapidamente pegamos os remos e começamos a sinalizar; em pouco tempo, os amigos do duplão estavam conosco.
Enquanto tratávamos de providenciar as tralhas para almoço, Germano travava contato com um morador do local. Havia mais pessoas que haviam chegado na praia em um veículo 4x4 e ocupavam um espaço próximo de onde estávamos.





Almoçamos em meio a pedras que serviram de mesa e bancos, sob agradável sombra de frondosas árvores. Nem imaginávamos as emoções que estavam por vir...


2 comments:

Ian said...

Hi Leonardo,

Now that looks like pleasant paddling! Praia da Pont Grande is beautiful, and I bet the water is warm too! :o)

Kind regards

Leonardo Esch said...

Hi Ian, it was a beautiful beach, with warm water, blue sky. Let me know, can You read the portuguese posts with an online translator? Do you think an online translator link would be useful?